Brasília,
Home » Destaque » Irã tem arsenal de mísseis suficiente para eliminar qualquer ameaça dos EUA, diz comando iraniano

Irã tem arsenal de mísseis suficiente para eliminar qualquer ameaça dos EUA, diz comando iraniano

Publicado por: Redação Irã News
Autor:
Publicada em 25/01/2021 às 17:37
Share Button
Foto:
ORIENTE MÉDIO E ÁFRICA

Sputnik – A República Islâmica do Irã acumulou um vasto arsenal de mísseis balísticos e de cruzeiro, cuja maioria é de fabricação nacional, capaz de destruir os navios norte-americanos, declarou general iraniano.

Na segunda-feira (25), o general iraniano Rahim Noei-Aghdam, comandante da base militar de Hazrat Zaynab do Corpo de Guardiões da Revolução Islâmica (IRGC, na sigla em inglês), afirmou que apesar de seu tamanho, capacidade tecnológica e poder de fogo, a Marinha dos EUA deixou de ser uma ameaça para o Irã graças ao vasto arsenal de mísseis de Teerã.

“Se antes a presença dos EUA nas águas internacionais perto do Irã era considerada uma ameaça para o país, agora, graças a nosso poder de dissuasão e mísseis superfície-superfície, superfície-ar, superfície-costa, costa-costa, costa-mar e mar-mar, temos a capacidade de destruir navios norte-americanos”, disse o comandante à agência Mehr.

Noei-Aghdam acrescentou que, em contraste com as forças norte-americanas na Ásia Ocidental, que são incapazes de atuar, a inteligência, mobilidade, poder de combate, força, coesão, unidade e moral das forças da Frente de Resistência, especialmente das Forças Armadas do Irã, são bastante conhecidos.

Anteriormente, o Irã começou manobras militares no golfo de Omã. O comandante das Forças Terrestres do Exército, general Kiomars Heidari, disse que os exercícios treinariam “uma resposta rápida e decisiva” a ameaças hostis e simulariam grandes ataques contra uma hipotética costa inimiga.

Em 16 de janeiro, o Irã testou mísseis balísticos, atingindo alvos marítimos a 1.800 quilômetros de distância, através do golfo de Omã, no oceano Índico.

As tensões entre Teerã e Washington cresceram novamente nos recentes meses, após o assassinato do físico nuclear Mohsen Fakhrizadeh em 27 de novembro de 2020, supostamente por agentes israelenses.

Comments

comments

ESPORTE

COLUNISTAS

VIDEOS